fbpx
Evite a dengue com essas 4 atitudes.

Evite a dengue com essas 4 atitudes.

As quatro atitudes básicas e sem custo que você precisa ter para evitar a dengue.

As principais medidas preventivas para o controle de pragas, dentre elas o mosquito Aedes aegypti visam eliminar ou minimizar as condições ambientais que propiciem sua proliferação, que são: Água, Abrigo, Alimento e Acesso. Estas medidas são conhecidas como plano de eliminação dos 4As. 

Para que tenhamos êxito no plano de eliminação dos 4As, precisamos entender que estes mosquitos possuem hábitos oportunistas. Conforme é amplamente divulgado, o mosquito Aedes aegypti possui habito mais urbano e quanto mais alto a densidade populacional maiores as infestações. 

Do ovo à forma adulta, o ciclo de vida do A. aegypti varia de acordo com a temperatura, disponibilidade de alimentos e quantidade de larvas existentes no mesmo criadouro, uma vez que a competição de larvas por alimento (em um mesmo criadouro com pouca água) consiste em um obstáculo ao amadurecimento do inseto para a fase adulta. Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana: assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz).

O tempo médio de vida do mosquito Aedes aegypti é curto, em torno de 45 dias em média. Tudo isto posto, uma medida prática e eficiente para o combate ao mosquito, que não precisa de aplicação de produtos químicos, de agentes públicos e só depende de cada um de nós é a aplicação do plano de eliminação dos 4As, que consiste:

Plano de eliminação dos 4As para evitar a dengue.
  • Água:

Esta é a primeira e mais eficiente tarefa a ser feita. Sem água, o mosquito não se reproduz. Portanto, é preciso retirar toda e qualquer água parada nos ambientes que estão sob nossa responsabilidade.

No verão a infestação do mosquito é mais intensa justamente por ser a época das chuvas e aumento da temperatura. 

  • Abrigo:

Devemos destruir todos os abrigos possíveis para o mosquito Aedes aegypti, neste caso denominados criadouros, dos maiores aos menores, tais como caixas d’água, galões e tonéis, vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, pneus, garrafas e latinhas abertas,  tampas de garrafa entre outros. A preocupação deve ser redobrada para os maiores abrigos, pois é onde tem a maior incidência do depósito de larvas. Atitudes simples, tais como lavar a caixa d’agua e tampar, desentupir as calhas com a retirada de folhas por exemplo e uma vistoria semanal pelo ambiente pode garantir que os mosquitos não o usem como abrigo. Como o desenvolvimento do mosquito da fase de ovos à fase adulta pode durar até 10 dias, precisamos desta vigilância semanal para quebrarmos o ciclo de vida dos mosquitos. 

A desova acontece, preferencialmente, em criadouros com água limpa e parada. Os ovos são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido. Daí a importância de lavar, com escova ou palha de aço, as paredes dos recipientes que não podem ser eliminados, onde o ovo pode permanecer grudado. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz)

Os ovos adquirem resistência ao ressecamento muito rapidamente, em apenas 15h após a postura. A partir de então, podem resistir a longos períodos de dessecação – até 450 dias, segundo estudos. Esta resistência é uma grande vantagem para o mosquito, pois permite que os ovos sobrevivam por muitos meses em ambientes secos, até que o próximo período chuvoso e quente propicie a eclosão. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz)

  • Alimento:

No caso, o alimento da fêmea do mosquito Aedes aegypti somos nós, seres humanos. 

Somente a fêmea pica o homem para sugar sangue (hematofagia), alimento necessário à maturação dos ovos. Se estiver em um ambiente que tenha suspeita de infestação, é preciso que tome precauções para não ser uma presa fácil, tais como o uso de repelentes químicos e/ou eletrônicos. Existem diversos no mercado, com indicação até para crianças. 

  • Acesso:

Para que não seja uma presa fácil, é necessário retirar o “Acesso” do mosquitoAedes aegypti à você e sua família. Em alguns casos, em que toda uma região demográfica estiver com grandes níveis de infestação, pode ser colocadas telas protetoras a fim de evitar a invasão dos mosquitos, dormir com cortina mosqueteira, deixar o ambiente fechado com o uso de refrigeração.

Mas, se as pragas passam a ocupar áreas comunitárias, somente uma ação conjunta dos indivíduos desta comunidade afetada poderá ser capaz de resolver o problema. A cooperação e a participação da comunidade é indispensável e vital para o sucesso no controle de pragas. Precisamos de mais ações pensando na COLETIVIDADE para realmente conseguirmos obter êxito. 

Nosso propósito transformador massivo (PTM) é levar conhecimento sobre as pragas e segurança com o CONTROLE RACIONAL DE PRAGAS, realizando serviços sustentáveis e com o cuidado que você merece.

Essa a informação pode ser útil e evitar o contágil salvando vidas. Compartilhe o conhecimento! 

Leia também:

Abelhas e sua importância vital.

Abelhas e sua importância vital.

Existem mais de 25 mil espécies de abelhas conhecidas e espalhadas por todos os continentes onde existem flores polinizadas por insetos. As abelhas encontradas no Brasil são geralmente um híbrido das abelhas européias e das abelhas africanas. Também existem abelhas sem ferrão ou com ferrão atrofiado e a mais comum e conhecido no Brasil é a Jataí.

Desde o antigo egito temos registro da prática da apicultura. São milhares de anos produzindo mel, cera, geléia real e própolis. No entanto, é a polinização o maior e mais importante serviço que as abelhas realizam.

A polinização feita pelas abelhas.

A polinização é o ato da abelha transportar o pólen de uma flor para outra, o que auxilia na fecundação e reprodução das plantas desenvolvendo frutos e sementes. Apesar da polinização ser feita de diversas formar como pelo vento, pela água ou animais como borboletas e beija-flor, a abelha é a mais eficiente por ser a mais rápida e consegue após um tempo que a colmeia se fixa em um local, saber o melhor horário para polinizar.

Extinção das abelhas

Muitos vegetais que comemos seriam muito diferentes sem a polinização das abelhas, mas não é só isso. Se não tivéssemos as abelhas, animais criados para consumo que são herbívoros além da vida selvagem em geral seria drasticamente reduzida.

Isso é incrivelmente preocupante visto que as abelhas correm real risco de extinção. Einsten alertava que “se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.”

E por que estamos falando disso por aqui? Sempre falamos do Controle Racional de Pragas e a utilização indiscriminada de pesticidas destinados a matar certas pragas, acabam matando também as abelhas.

Existem alternativas?

Alguns cientistas holandeses acreditam que será possível criar um verdadeiro enxame de drones que possam realizar o papel das abelhas no caso de extinção.

Além desses cientistas holandeses, na Espanha estão buscando o desenvolvimento de “superabelhas”.

No entanto, essas medidas focam na consequências e não tentam evitar a causa.

Controle Racional de Pragas.

O desenvolvimento da agricultura biológica, o controle de doenças das abelhas como no projeto europeu Bee Doc podem ajudar. Em Portugal existe uma instituição, a FNAP, que visa promover a apicultura com meteoros para melhorar a vida das abelhas.

No entanto, mesmo com todas essas iniciativas, devemos focar em enviar que as abelhas sejam exterminadas pelo uso indiscriminado de pesticidas, realizando um controle racional de pragas que minimize uso de venenos e ajude a prevenir e controlar as pragas.

Acompanhe nossas dicas por aqui e compartilhe conhecimento.

Controle de pragas é com a Ecologic e com os Sapos.

Controle de pragas é com a Ecologic e com os Sapos.

Os sapos não costumam ser associados a controle de pragas. Geralmente não são lembrados por coisas boas muito menos agradáveis. Mas eles são extremamente importantes em qualquer ecossistema.

Esse anfíbios são grandes predadores de insetos e alguns invertebrados controlando pragas em diversos ambientes. É preocupante que muitos desses animais sejam perseguidos e eliminados indiscriminadamente, diminuindo sua população.

Se por um lado devemos evitar o contato com os sapos devido ao perigo de envenenamento, por outro, não podemos eliminar esses anfíbios indiscriminadamente. 

Eles são muito importantes no ciclo biológico, e para o controle de algumas pragas. Como se alimentam de mosquitos e moscas. Eles evitam a proliferação de insetos, especialmente na estação chuvosa.

Esses anfíbios se alimentam de insetos e pragas que são prejudiciais aos seres humanos. Com este controle de pragas, você pode evitar a transmissão de doenças transmitidas por diversos mosquitos.

O Controle Racional de Pragas diminui os risco de infestações e ajuda a evitar perigos trazidos pelas pragas além de minimizar o uso de produtos químicos na eliminação desse animais. Portanto, contribua sempre para que sua comunidade fique livre dos riscos que podem ameaçar sua família.

Se ainda sim você precisar de um serviço de controle de praga sério e preocupado com o bem estar de todos, lembre-se que desratização é na Ecologic.

Gostou do que você leu aqui? Compartilhe a informação.

Desratização. O que é? Como é feita?

Desratização. O que é? Como é feita?

O que é a desratização?

Desratização é a eliminação de ratos em um determinado local. Existem diferentes métodos que podem ser usados para exterminar os roedores. No entanto, lembramos que todo o controle de pragas deve começar com a prevenção e para isso, recomendado atenção às nossas dicas para o Controle Racional de Pragas.

Portanto, tendo em mente que a desratização é um método de combate aos roedores que visa eliminar ratos em um determinado local, precisamos saber como a desratização é feita e como ela funciona.

Vamos apresentar aqui a desratização química, mecânica ou física e a biológica para que você possa saber quais tipos existem. A Ecologic presta o serviço de desratização química mas orientamos sobre como prevenir fisicamente a infestação de ratos em seu ambiente. Não fazemos desratização biológica. Aliás, para outras pragas o controle de pragas biológico pode até ser interessante e faz parte de nossos serviços, com o uso de Bacillus thuringiensis israelenses (Bti) e Bacillus sphaericus no combate à mosquitos, mas definitivamente não consideramos para realização de desratização.

Os tipos de desratização podem oferecer excelentes resultados e a escolha de qual deve ser utilizado fica a critério do profissional que avaliará o local e quantidade de animais estimados.

Como é feita a desratização?

Desratização com controle biológico. 

Esse tipo de desratização não é recomendado pela Organização Mundial da Saúde pois traz risco a saúde das pessoas que vivem ou até mesmo frequentam o local onde o produto é utilizado. Um exemplo é a utilização de bactérias que além de trazer sofrimento aos roedores, trás riscos ao ser humano e animais de estimação.

Como dito acima, não prestamos esse tipo de serviço.

Desratização com controle mecânico ou físico.

Esse modelo de desratização é amplamente utilizada. São espalhadas diversos tipos de armadilhas como gaiolas e nessas armadilhas são colocadas iscas de acordo com tipo de roedor encontrado.

Existem ainda outros métodos físicos como ultrassom e placas de cola. O ultrassom é utilizado para afastar os ratos por meio de um som imperceptível para seres humanos mas que afasta os roedores. É um método que não tem uma boa eficácia. 

As placas de cola são consideradas cruéis com os animais por causarem agonia e mal estar além de não serem muito eficazes não sendo assim utilizadas nos dias de hoje.

Barreiras físicas também são uma forma de combate, mas neste caso estão ligadas a prevenção.

Quando devemos utilizar a desratização mecânica?

Esse tipo de desratização é uma das melhores forma de se combater ratos em locais onde não se deve utilizar a desratização química. Os raticidas podem as vezes causar danos ao ambiente ou ainda serem consumidos acidentalmente por animais domésticos e crianças.

As armadilhas são colocadas em locais estratégicos evitando que sejam encontradas facilmente por crianças e animais domésticos.

Entretanto, nem sempre é possível utilizar esse método pois nem todas as espécies de roedores caem nas armadilhas.

Desratização com controle químico. 

Nesse método, a desratização é feita com substâncias para eliminar os ratos. São tóxicas e só devem ser manipuladas por profissionais treinados e com as devidas proteções para manusear esse material.

Esse método não causa sofrimento aos ratos, mas pode ser perigosa para animais de estimação se utilizados produtos ilegais como o “chumbinho” que pode matar até uma pessoa. 

Ainda neste sentido, precisamos fazer aqui um alerta sobre o “chumbinho”, que é um produto clandestino, irregularmente utilizado como raticida. Não possui registro na ANVISA nem em nenhum outro órgão de governo.

É um produto irregular, geralmente fabricado e comercializado por quadrilhas de contraventores, com pouca eficiência, possuem elevada toxicidade aguda, de forma que a morte do roedor ocorre poucos instantes após sua ingestão, o que dá a falsa impressão ao consumidor de que o produto é eficiente. Mas as colônias de ratos não funcionam assim. Normalmente o animal mais idoso ou doente é enviado para “provar” o novo “alimento”; como ele morre em seguida, os demais ratos observam e fogem.

Ou seja, o problema não foi resolvido, os roedores apenas passaram para a vizinhança e continuam circulando pela região. Ao contrário, os raticidas legais, próprios para esse fim e com registro na Anvisa (denominados cumarínicos), agem como anti-coagulantes e a morte do animal é mais lenta, fazendo com que todos os ratos da colônia ingiram também o veneno, assim exterminando-os de forma mais eficiente, ainda que leve mais de tempo, apenas requerendo um pouco de paciência e disciplina por parte do usuário.

Inclusive, a compra, venda e uso de “chumbinho” é crime e deve ser denunciada junto à ANVISA, que pode ser feito pelo email ouvidoria@anvisa.gov.br, pois representa um grande risco para a nossa sociedade.

Não existem raticidas na forma liquida que sejam legalizados e liberados para a desratização. 

Aqui na Ecologic utilizamos sempre substâncias liberadas pela ANVISA.

Quando devemos utilizar a desratização química?

A desratização química é rapida e eficiente para o controle de roedores. Esse método deve ser realizado apenas por profissional que saiba como proceder e onde aplicar o praguicída.

A desvantagem da desratização química é o uso de substâncias altamente tóxicas. No entanto, isso não é um problema quando realizada por profissionais capacitados. O risco de um raticida ser ingerido é bem remoto pois a maioria dos raticidas de qualidade possuem uma substância chamada nitres que é bem amargo e previne o risco de ser ingerido acidentalmente por crianças e animais de estimação. 

Controle Racional de Pragas e a prevenção.

É importante conhecer os métodos combate e eliminação de roedores, mas mais importante é prevenir e se proteger de um infestação de roedores.

Lembramos sempre que medidas como a limpeza do ambiente e seus arredores são de extrema importância. Não deixe acumular entulho, evite lixo aberto e tenha atenção ao seu descarte e recolhimento.

As principais medidas preventivas para qualquer controle de pragas dentre elas os roedores visam eliminar ou minimizar as condições ambientais que propiciem sua proliferação, que são: Água, Abrigo, Alimento e Acesso. Estas medidas são conhecidas como plano de eliminação dos 4As.

Se você não fornecer essas condições aos ratos, eles não ficarão em seu ambiente.

Nos últimos tempos, temos visto diversas reportagens sobre infestações de roedores dentro de nossas cidades, como no Setor Sudoeste em Brasília/DF. Um dos maiores motivos para favorecimento desta situação é infelizmente a falta de Senso de Coletividade de nossa população. É alimento em excesso descartado de forma errada, muito abrigo para que possam se esconder com acesso rápido. Saem da toca, buscam estes alimentos e voltam tranquilamente. 

Só para conhecimento, o Setor Sudoeste é um bairro que só tem condomínios comerciais e residenciais. Um condomínio pode até fazer o controle químico adequado mas se os outros não fizerem dificilmente terá êxito.

O roedor que está próximo à uma edificação na qual seu administrador se preocupa com o “plano de eliminação dos 4As” pode simplesmente ir na edificação vizinha para se alimentar e adentrar numa área comercial ou residencial que segue os cuidados à risca.

Ratos não conhecem as fronteiras. Infelizmente nas grandes cidades não existe o controle de roedores baseado na cadeia alimentar, pois não temos nas ruas muitos dos seus principais predadores naturais que são os gatos, os cães, as raposas, as corujas, as aves de rapina e as cobras.

Faça com que essas informações chegam também aos seu vizinhos e comunidade para que a prevenção seja feita por todos afinal, o abrigo pode estar na casa do vizinho e o roedor ir buscar alimento na sua casa. Se cada indivíduo se preocupar com isto, estará realizando sim o Controle Racional de Pragas e contribuindo para uma melhor Coletividade. 

O Controle Racional de Pragas visa minimizar o uso abusivo e indiscriminado de praguicídas. É uma seleção de métodos de controle e o desenvolvimento de critérios que garantam resultados favoráveis sob o ponto de vista higiênico, ecológico e econômico. Para se fazer isso, os hábitos e ciclos de vida de muitas pragas devem ser entendidos e as medidas apropriadas para resolver estes problemas devem ser implementadas.

Portanto, vamos contribuir coletivamente para o Controle Racional de Pragas e minimizar os riscos de infestação desses animais. Para se ter idéia, é estimado que a cada rato visto durante a noite, existem 100 ratos escondidos e para cada rato visto durante o dia, existem 200 ratos escondidos.

Se ainda sim você precisar de um serviço de desratização sério e preocupado com o bem estar de todos, lembre-se que desratização é na Ecologic.

Gostou do que você leu aqui? Compartilhe a informação.

Descupinização, acabando com cupins os destruidores de patrimônios.

Descupinização, acabando com cupins os destruidores de patrimônios.

O combate a infestação de cupins, uma praga que trás muito mais dor de cabeça que imaginamos é feita por meio da descupinização.

Sabemos que pragas em geral, trazem grande prejuízo a sua saúde, mas também geram um grande prejuízo financeiro. Em especial o cupim.

Claro, as diversas doenças causadas podem demandar tratamentos muitas vezes caros. Mas não para por aí. O seu patrimônio pode estar em risco.

Cupins são pragas que se alimentam de madeira e causam um grande estrago em móveis, portas, pisos e outro objetos/locais que utilizam o material. Mais preocupante ainda é quando existem estruturas de madeira em seu imóvel.

Muitas vezes a sua ação não é percebida facilmente pois eles vão comendo o interior da madeira sem destruir a parte exterior e quando se nota, ela já está inutilizada.

Resíduos de madeira nas superficies próximas podem ser um indício que ajuda a detectar esse animais.

Aplicar verniz na madeira, é uma forma de prevenir o ataque desses bichos.

É importante saber que nem toda a espécie de cupim é praga. No Brasil são mais de 300 espécies e portanto, é importante que o controle de cupins seja realizado por uma empresa que identifique a espécie conhecendo a biologia do animal para avaliar corretamente a ação que deve ser tomada para a efetiva descupinização. Assim, podemos evitar e/ou minimizar a reincidência de infestações que é muito comum.

Então, se você suspeitar da incidência de cupins em sua casa procura um serviço de descupinização, entre em contato com a Ecologic Dedetizadora e peça uma avaliação.

Gostou do que viu aqui? Compartilhe conhecimento com seus amigos.