fbpx

São apenas 100 vagas. Faça a sua reserva pelo formulário abaixo ou ligue 61 3361-0078.

15 + 8 =

CONHEÇA O ECOLOGIC CARE

O ECOLOGIC CARE é um um plano diferenciado no qual durante o período de 01 ano, realizaremos aplicações preventivas e corretivas de controle de pragas, as quais serão realizadas quadrimestralmente (04 em 04 meses).

São inúmeras vantagens:

– Técnicos qualificados e treinados pela nossa empresa;

– Utilização dos produtos saneantes domissanitários mais eficientes do mercado;

– Preço fixo por 12 meses;

– Cobertura, incluindo a mão de obra, para as seguintes pragas:

  • Baratas (Periplaneta americana e Blattella germânica);
  • Formigas Internas (área construída);
  • Escorpiões;
  • Traças;
  • Roedores (Rattus norvegicus, Rattus rattus e Mus musculus);
  • Percevejo de cama;

 

Quanto às pragas:

O politicamente correto, conforme publicação da Dra. Lucy Figueiredo, Bióloga, na edição nº 34 Ano XVII da Revista Vetores & Pragas, no mundo das pragas ou sinantrópicas é termos, nós, seres humanos, a consciência de que não há interesse em denominar de pragas, qualquer animal que seja, barata, rato, pombo, morcego e etc. O que interessa é entendermos a necessidade de um ambiente saudável para não tê-las.

SINANTROPIA: Fenômeno ecológico fundamentado em particular no comportamento populacional associado ao homem. Adaptação ao meio antrópico.

Pragas sinantrópicas são aquelas que vivem às expensas do homem.

Sin = junto Antropo = homem

 

IMPORTANTE:

– Uma vez adquirido o ECOLOGIC CARE, o plano fica vinculado ao endereço do cliente. Caso o cliente mude por algum motivo, não estará incluso para a nova residência.

– Serviços como Insetos Alados (moscas e mosquitos) não estão cobertos pelo plano, pois analisando-se o potencial de infestação, o processo de disseminação das pragas, ciclo de vida (reprodução), residual de produtos, dispersão por voo e possível invasão aleatória no ambiente, ficaria inviável. Mas daremos dicas para mantê-los o mais longe possível de sua residência, seja por barreira física, por eliminação de atrativos e outras atitudes que julgamos interessante.

 

COMO DEVE SER FEITO O CONTROLE DE PRAGAS:

Através de um conceito novo: o “Controle Integrado de Pragas”, caracterizado como sendo um sistema que incorpora ações preventivas e corretivas sobre o ambiente urbano, ações estas destinadas a impedir que os vetores e as pragas urbanas possam gerar problemas significativos. O Controle Integrado de Pragas visa minimizar o uso abusivo e indiscriminado de praguicidas. É uma seleção de métodos de controle e o desenvolvimento de critérios que garantam resultados favoráveis sob o ponto de vista higiênico, ecológico e econômico. Para se fazer isso, os hábitos e ciclos de vida de muitas pragas devem ser entendidos e as medidas apropriadas para resolver estes problemas devem ser implementadas.

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma filosofia muito utilizada no controle de pragas agrícolas e pode também ser utilizada com sucesso em áreas urbanas. Esta filosofia consiste nos seguintes passos:

  1. a) Identificar a espécie.

A correta identificação da espécie possibilita o acesso ao acervo de informações técnicas e científicas sobre ela.

  1. b) Compreender a biologia e o comportamento da praga.

 

Após a identificação, pode-se analisar os aspectos biológicos e comportamentais da praga, buscando-se informações sobre o alimento, necessidades térmicas, umidade, habitat, e aspectos da reprodução.

  1. c) Determinar o nível de infestação para adoção dos métodos adequados de controle.

Analisar e determinar quais as condições locais que propiciam o desenvolvimento e a manutenção da infestação.

  1. d) Conhecer e avaliar adequadamente o uso das medidas de controle (riscos, benefícios, eficácia).

Utilizar os métodos de controle químicos e biológicos disponíveis (produtos devidamente registrados) e sua aplicabilidade na situação em questão. Considerar medidas como: remoção mecânica (aspiração), armadilhas, iscas, defensivos, controle biológico e outras.

  1. e) Implementar táticas seguras e efetivas de controle.

Avaliar o impacto das medidas a serem adotadas sobre o ambiente (público, animais domésticos, resíduoemalimentos e utensílios).

  1. f) Avaliar a eficiência do controle.

Realizar o monitoramento do nível de infestação (armadilhas de cola ou sinais indicativos de infestação) após a aplicação e, se necessário, adotar medidas de controle complementares. O monitoramento feito após um tratamento pode ser utilizado como um indicador de qualidade do controle

As principais medidas preventivas para o controle de pragas visam eliminar ou minimizar as condições ambientais que propiciem sua proliferação, que são: Água, Abrigo, Alimento e Acesso. Estas medidas são conhecidas como plano de eliminação dos 4As.

 

Entre em contato e saiba mais!

Você quer proteger a sua família agora? São apenas 100 vagas. Faça a sua reserva pelo formulário abaixo ou ligue 61 3361-0078.

8 + 13 =