fbpx

As quatro atitudes básicas e sem custo que você precisa ter para evitar a dengue.

As principais medidas preventivas para o controle de pragas, dentre elas o mosquito Aedes aegypti visam eliminar ou minimizar as condições ambientais que propiciem sua proliferação, que são: Água, Abrigo, Alimento e Acesso. Estas medidas são conhecidas como plano de eliminação dos 4As. 

Para que tenhamos êxito no plano de eliminação dos 4As, precisamos entender que estes mosquitos possuem hábitos oportunistas. Conforme é amplamente divulgado, o mosquito Aedes aegypti possui habito mais urbano e quanto mais alto a densidade populacional maiores as infestações. 

Do ovo à forma adulta, o ciclo de vida do A. aegypti varia de acordo com a temperatura, disponibilidade de alimentos e quantidade de larvas existentes no mesmo criadouro, uma vez que a competição de larvas por alimento (em um mesmo criadouro com pouca água) consiste em um obstáculo ao amadurecimento do inseto para a fase adulta. Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana: assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz).

O tempo médio de vida do mosquito Aedes aegypti é curto, em torno de 45 dias em média. Tudo isto posto, uma medida prática e eficiente para o combate ao mosquito, que não precisa de aplicação de produtos químicos, de agentes públicos e só depende de cada um de nós é a aplicação do plano de eliminação dos 4As, que consiste:

Plano de eliminação dos 4As para evitar a dengue.
  • Água:

Esta é a primeira e mais eficiente tarefa a ser feita. Sem água, o mosquito não se reproduz. Portanto, é preciso retirar toda e qualquer água parada nos ambientes que estão sob nossa responsabilidade.

No verão a infestação do mosquito é mais intensa justamente por ser a época das chuvas e aumento da temperatura. 

  • Abrigo:

Devemos destruir todos os abrigos possíveis para o mosquito Aedes aegypti, neste caso denominados criadouros, dos maiores aos menores, tais como caixas d’água, galões e tonéis, vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, pneus, garrafas e latinhas abertas,  tampas de garrafa entre outros. A preocupação deve ser redobrada para os maiores abrigos, pois é onde tem a maior incidência do depósito de larvas. Atitudes simples, tais como lavar a caixa d’agua e tampar, desentupir as calhas com a retirada de folhas por exemplo e uma vistoria semanal pelo ambiente pode garantir que os mosquitos não o usem como abrigo. Como o desenvolvimento do mosquito da fase de ovos à fase adulta pode durar até 10 dias, precisamos desta vigilância semanal para quebrarmos o ciclo de vida dos mosquitos. 

A desova acontece, preferencialmente, em criadouros com água limpa e parada. Os ovos são depositados nas paredes do criadouro, bem próximo à superfície da água, porém não diretamente sobre o líquido. Daí a importância de lavar, com escova ou palha de aço, as paredes dos recipientes que não podem ser eliminados, onde o ovo pode permanecer grudado. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz)

Os ovos adquirem resistência ao ressecamento muito rapidamente, em apenas 15h após a postura. A partir de então, podem resistir a longos períodos de dessecação – até 450 dias, segundo estudos. Esta resistência é uma grande vantagem para o mosquito, pois permite que os ovos sobrevivam por muitos meses em ambientes secos, até que o próximo período chuvoso e quente propicie a eclosão. (Fonte: Instituto Oswaldo Cruz)

  • Alimento:

No caso, o alimento da fêmea do mosquito Aedes aegypti somos nós, seres humanos. 

Somente a fêmea pica o homem para sugar sangue (hematofagia), alimento necessário à maturação dos ovos. Se estiver em um ambiente que tenha suspeita de infestação, é preciso que tome precauções para não ser uma presa fácil, tais como o uso de repelentes químicos e/ou eletrônicos. Existem diversos no mercado, com indicação até para crianças. 

  • Acesso:

Para que não seja uma presa fácil, é necessário retirar o “Acesso” do mosquitoAedes aegypti à você e sua família. Em alguns casos, em que toda uma região demográfica estiver com grandes níveis de infestação, pode ser colocadas telas protetoras a fim de evitar a invasão dos mosquitos, dormir com cortina mosqueteira, deixar o ambiente fechado com o uso de refrigeração.

Mas, se as pragas passam a ocupar áreas comunitárias, somente uma ação conjunta dos indivíduos desta comunidade afetada poderá ser capaz de resolver o problema. A cooperação e a participação da comunidade é indispensável e vital para o sucesso no controle de pragas. Precisamos de mais ações pensando na COLETIVIDADE para realmente conseguirmos obter êxito. 

Nosso propósito transformador massivo (PTM) é levar conhecimento sobre as pragas e segurança com o CONTROLE RACIONAL DE PRAGAS, realizando serviços sustentáveis e com o cuidado que você merece.

Essa a informação pode ser útil e evitar o contágil salvando vidas. Compartilhe o conhecimento! 

Leia também: